Recife, Pernambuco

Hotel de Recife Pernambuco

POR QUE IR?

Recife, assim como Salvador, é um dos destinos mais badalados do Nordeste. A capital do estado de Pernambuco abriga uma cena cultural vibrante, cujo carnaval é fabuloso, e algumas belas paisagens. Além do cenário urbano, com arranha-céus envidraçados, grandes áreas comerciais e agitada vida noturna, há o centro antigo, que evidencia a herança histórica do local.

QUANDO IR?

O Carnaval é a época mais concorrida na cidade e, se você gosta da folia, vale a pena conhecer a comemoração local. Se quiser fugir dos festejos típicos, o verão é recomendável, apesar dos preços mais elevados. Já junho e julho são meses bastante chuvosos na região.

COMO IR?

Gol, TAM, Azul e Avianca oferecem voos a partir da maioria das capitais brasileiras. Os preços podem variar bastante de acordo com a companhia, a época do ano e o local de partida. Planejar a viagem e adquirir as passagens com antecedência garante boa economia.

PARA VER

O melhor museu

Umas das ilhas de Recife, Pernambuco

Construído pelos holandeses por volta de 1630, o Forte das Cinco Pontas abriga o Museu da Cidade do Recife. O local apresenta importantes exposições sobre a cultura popular e a história da cidade e guarda mais de 150 mil imagens e artefatos da Igreja do Senhor Bom Jesus dos Martírios, já demolida, e de antigas residências (ingresso R$ 1).

O melhor do barroco

No complexo de edifícios do Convento e Igreja de Santo Antônio está a Capela Dourada, pérola da arquitetura barroca brasileira. Construída pela Ordem Franciscana em 1696, exibe obras de importantes artistas dos séculos 17 e 18.

A melhor sinagoga

A Sinagoga Kahal Zur Israel fica no Recife Antigo e foi a primeira construída em continente americano, ainda durante a ocupação dos holandeses no século 17. Atualmente, o local abriga o Centro Judaico de Pernambuco, responsável por manter viva a memória do povo de Israel na cidade com uma exposição permanente.

O melhor instituto

O Instituto Ricardo Brennand conta com uma pinacoteca com acervo do pintor holandês Albert Eckhout e uma biblioteca de obras raras do historiador José Antônio Gonçalves de Mello e do escritor Édson Nery da Fonseca, além do acervo de armas brancas em exposição permanente. Um tour completo sai por R$ 15.

PARA COMER E BEBER

• A cidade de Recife está repleta de bons restaurantes self-service, como o Vinagret’s e o Salada Mista , ambos situados na rua do Hospício (nos números 203 e 59, respectivamente). Neles é possível provar comidinhas diversificadas, entre pratos típicos do Nordeste e opções mais triviais da culinária nacional. O quilo custa cerca de R$ 17.

• Já o Bangüê, que teve seu ambiente pitoresco – decorado com uma bela plantação de cana-de-açúcar – descrito pelo australiano Peter Robb em seu polêmico livro A Death in Brazil, é boa opção para degustar carnes ou frutos do mar (pratos entre R$ 10 e R$ 25; Pátio de São Pedro, 20).

• Fundado em 1882, o Leite é um dos mais antigos restaurantes do país e ponto de encontro de políticos e homens de negócios recifenses. Com cardápio sofisticado, é excelente para degustar carnes e frutos do mar. O filé ao funghi, grelhado ao molho de vinho do Porto, é uma boa pedida (pratos entre R$ 30 e R$ 60).

• Outra excelente escolha é esticar até Olinda para conhecer o Oficina do Sabor. O chef César Santos aposta em ingredientes típicos da culinária pernambucana para compor delícias como as abóboras recheadas de camarão ou peixe no molho de coco ou manga (pratos entre R$ 18 e R$ 35).

ESSENCIAIS

Circulando

Em Recife, é comum as linhas de ônibus realizarem rotas confusas. Para aproveitar melhor o tempo, prefira o táxi. A corrida do aeroporto ao centro sai, em média, R$ 30, enquanto o trajeto até Olinda fica em torno de R$ 40. O metrô tem alcance limitado.

PREÇOS TÍPICOS

Sanduíche na padaria Botequim: R$ 11.
Hospedagem em hotel de preço médio: R$ 60 a R$ 200.
Diária em hotel sofisticado: R$ 200 a R$ 500.

PARA DORMIR

• O centro de Recife conta com acomodações modestas e baratas, como o Hotel Central, que já foi o ambiente mais fashionista da cidade, e também o prédio mais alto da capital – há muito ultrapassado pelos modernos hotéis e pousadas atualmente disponíveis na Boa Viagem e outras praias. Com mobiliário antigo e um elevador de 1930, tem quartos iluminados e razoavelmente bem conservados (diárias entre R$ 40 e R$ 100; Av. Manoel Borba, 209; tel. 81 3222-2353).

• Mais comum para quem deseja usufruir da conveniência de se hospedar perto do centro histórico é buscar hospedagem em Olinda – bem pertinho, ao lado, cerca de seis quilômetros (a corrida de táxi sai por R$ 15, em média). Um bom exemplo é a Pousada do Amparo, que ocupa duas charmosas casas do século 17 e oferece quartos confortáveis (diárias entre R$ 215 e R$ 460).

• Já o Hotel 7 Colinas é espaçoso e arejado, com restaurante de qualidade e piscina, embora o ambiente destoe do estilo colonial das ruas (diárias a partir de R$ 220).

• Se a opção é pagar barato e usufruir de instalações modernas, o Albergue de Olinda tem cômodos impecáveis, jardim e piscina (diárias entre R$ 28 e R$ 75).

• Na praia da Boa Viagem também é possível encontrar hoteis luxuosos, como Jangadeiro, com 90 quartos com vista para o mar (diárias a partir de R$ 250).

DICAS DE OUTROS VIAJANTES

Recife, Pernambuco

Diversão no parque

Em um domingo ensolarado, fui passear no Parque 13 de Maio (não deixe de dar uma volta por lá)! O som das rodas de capoeira é contagiante e os acalorados campeonatos de dominó chamam a atenção – quem quiser, ainda pode se arriscar em uma partida.
Luíz Augusto Soares

Terra de contrastes

Recife não tem cenários obrigatórios, mas o contraste entre o centro histórico, com construções repletas de rococós, e Olinda, com seus altos edifícios e shopping centers nos bairros mais modernos, faz da cidade uma sequência de boas surpresas a serem descobertas.
Silvete Nadai

Quem não dança…

É impossível ficar longe das tradições populares, em Recife: elas estão espalhadas por todas as ruas. O cancioneiro, por exemplo, inclui muito forró e chorinho, mas são as danças, como o frevo e o maracatu, que realmente deixam os visitantes de boca aberta e contagiados com a alegria.
Roberto Salgado

Balada certa

Os recifenses se orgulham da vida noturna agitada, com razão. Se você estiver a fim de curtir rock’n’roll, há opções como o Downtown Club e o Burburinho. Já para os fãs de música pop e eletrônica a dica é o Metrópole ou o Musique.
André Feliciano

Lembrança alternativa

Para quem gosta dos presentinhos locais, a Feirinha do Bairro do Recife é perfeita. Todo domingo, na rua Bom Jesus, barraquinhas vendem artesanato, roupas e joalheria. As cerâmicas são lindas!
Maria Flor de Andrade