Interiores do Brasil: Cavalgadas e muito mais.

Gente, acabei de voltar e quis vir compartilhar com vocês. A sensação é maravilhosa.

Eu nunca tinha andado de buggy na praia. Vim andar aqui em São Miguel do Gostoso com os amigos que fiz por aqui. E não foi a passeio. Foi como meio de transporte normal.

Aqui se anda de buggy pela praia porque o caminho é mais perto para ir de um lugar para outro. Enquanto pelo asfalto às vezes são 25 km, pela praia cai para 7, 8. O único cuidado é ficar esperto com as marés: se a maré está cheia a praia some em alguns lugares. Então tem que ficar de olho na Tábua de Marés.

Pois bem, comprei o buggy ontem.

Nunca ia imaginar que hoje iria colocá-lo na areia.

Gente, eu que mal tinha andado de buggy de carona me vi dirigindo no meio da praia, subindo e descendo dunas (tudo bem que foram pequenas, mas poxa, meu primeiro dia). Entrando e saindo das praias sem fazer o buggy morrer. Fazendo bonito.

Nossa! A sensação é incrível!

O buggy chacoalha demais. E a gente tem que segurar firme na direçãozinha pequena para manter o carro andando em linha reta.

E você vai solta dentro do carro. Se virar, babau.

Caramba, eu tinha filmado um pessoal de jipe hoje de manhã na praia para mostrar para vocês, um comboio lindo, mas o filme não saiu legal. E logo à tarde, nunca poderia imaginar que eu é que estaria sendo filmada.

Cavalgadas no interior

Eu adoro andar de jipe e minha experiência com o jipe ajudou, eu acho. Mas o buggy é muito legal!

O título do post é Cavalgada porque hoje teve uma cavalgada de comemoração do aniversário da cidade. Juntou tudo que é meio de transporte para seguir o caminho. Eles se juntaram às 7 da manhã, inviável para mim. Assim, quando me convidaram para ir pela praia encontrar a cavalgada numa cidade para frente eu topei. Fui atrás de outro buggy.

A maré já estava enchendo e a gente teve que andar meio de lado na areia fofa e meio na linha d’água, bem inclinado. Tanto que a volta foi pelo asfalto.

Pessoal, fico feliz de poder compartilhar isso com vocês. E queria voltar a dizer, desculpe se insisto na mesma tecla sempre: não tenham medo de viver e de ser feliz. Busquem a Felicidade, de verdade. Por favor, não se contentem com pouco.