Recife, Pernambuco

Hotel de Recife Pernambuco

POR QUE IR?

Recife, assim como Salvador, é um dos destinos mais badalados do Nordeste. A capital do estado de Pernambuco abriga uma cena cultural vibrante, cujo carnaval é fabuloso, e algumas belas paisagens. Além do cenário urbano, com arranha-céus envidraçados, grandes áreas comerciais e agitada vida noturna, há o centro antigo, que evidencia a herança histórica do local.

QUANDO IR?

O Carnaval é a época mais concorrida na cidade e, se você gosta da folia, vale a pena conhecer a comemoração local. Se quiser fugir dos festejos típicos, o verão é recomendável, apesar dos preços mais elevados. Já junho e julho são meses bastante chuvosos na região.

COMO IR?

Gol, TAM, Azul e Avianca oferecem voos a partir da maioria das capitais brasileiras. Os preços podem variar bastante de acordo com a companhia, a época do ano e o local de partida. Planejar a viagem e adquirir as passagens com antecedência garante boa economia.

PARA VER

O melhor museu

Umas das ilhas de Recife, Pernambuco

Construído pelos holandeses por volta de 1630, o Forte das Cinco Pontas abriga o Museu da Cidade do Recife. O local apresenta importantes exposições sobre a cultura popular e a história da cidade e guarda mais de 150 mil imagens e artefatos da Igreja do Senhor Bom Jesus dos Martírios, já demolida, e de antigas residências (ingresso R$ 1).

O melhor do barroco

No complexo de edifícios do Convento e Igreja de Santo Antônio está a Capela Dourada, pérola da arquitetura barroca brasileira. Construída pela Ordem Franciscana em 1696, exibe obras de importantes artistas dos séculos 17 e 18.

A melhor sinagoga

A Sinagoga Kahal Zur Israel fica no Recife Antigo e foi a primeira construída em continente americano, ainda durante a ocupação dos holandeses no século 17. Atualmente, o local abriga o Centro Judaico de Pernambuco, responsável por manter viva a memória do povo de Israel na cidade com uma exposição permanente.

O melhor instituto

O Instituto Ricardo Brennand conta com uma pinacoteca com acervo do pintor holandês Albert Eckhout e uma biblioteca de obras raras do historiador José Antônio Gonçalves de Mello e do escritor Édson Nery da Fonseca, além do acervo de armas brancas em exposição permanente. Um tour completo sai por R$ 15.

PARA COMER E BEBER

• A cidade de Recife está repleta de bons restaurantes self-service, como o Vinagret’s e o Salada Mista , ambos situados na rua do Hospício (nos números 203 e 59, respectivamente). Neles é possível provar comidinhas diversificadas, entre pratos típicos do Nordeste e opções mais triviais da culinária nacional. O quilo custa cerca de R$ 17.

• Já o Bangüê, que teve seu ambiente pitoresco – decorado com uma bela plantação de cana-de-açúcar – descrito pelo australiano Peter Robb em seu polêmico livro A Death in Brazil, é boa opção para degustar carnes ou frutos do mar (pratos entre R$ 10 e R$ 25; Pátio de São Pedro, 20).

• Fundado em 1882, o Leite é um dos mais antigos restaurantes do país e ponto de encontro de políticos e homens de negócios recifenses. Com cardápio sofisticado, é excelente para degustar carnes e frutos do mar. O filé ao funghi, grelhado ao molho de vinho do Porto, é uma boa pedida (pratos entre R$ 30 e R$ 60).

• Outra excelente escolha é esticar até Olinda para conhecer o Oficina do Sabor. O chef César Santos aposta em ingredientes típicos da culinária pernambucana para compor delícias como as abóboras recheadas de camarão ou peixe no molho de coco ou manga (pratos entre R$ 18 e R$ 35).

ESSENCIAIS

Circulando

Em Recife, é comum as linhas de ônibus realizarem rotas confusas. Para aproveitar melhor o tempo, prefira o táxi. A corrida do aeroporto ao centro sai, em média, R$ 30, enquanto o trajeto até Olinda fica em torno de R$ 40. O metrô tem alcance limitado.

PREÇOS TÍPICOS

Sanduíche na padaria Botequim: R$ 11.
Hospedagem em hotel de preço médio: R$ 60 a R$ 200.
Diária em hotel sofisticado: R$ 200 a R$ 500.

PARA DORMIR

• O centro de Recife conta com acomodações modestas e baratas, como o Hotel Central, que já foi o ambiente mais fashionista da cidade, e também o prédio mais alto da capital – há muito ultrapassado pelos modernos hotéis e pousadas atualmente disponíveis na Boa Viagem e outras praias. Com mobiliário antigo e um elevador de 1930, tem quartos iluminados e razoavelmente bem conservados (diárias entre R$ 40 e R$ 100; Av. Manoel Borba, 209; tel. 81 3222-2353).

• Mais comum para quem deseja usufruir da conveniência de se hospedar perto do centro histórico é buscar hospedagem em Olinda – bem pertinho, ao lado, cerca de seis quilômetros (a corrida de táxi sai por R$ 15, em média). Um bom exemplo é a Pousada do Amparo, que ocupa duas charmosas casas do século 17 e oferece quartos confortáveis (diárias entre R$ 215 e R$ 460).

• Já o Hotel 7 Colinas é espaçoso e arejado, com restaurante de qualidade e piscina, embora o ambiente destoe do estilo colonial das ruas (diárias a partir de R$ 220).

• Se a opção é pagar barato e usufruir de instalações modernas, o Albergue de Olinda tem cômodos impecáveis, jardim e piscina (diárias entre R$ 28 e R$ 75).

• Na praia da Boa Viagem também é possível encontrar hoteis luxuosos, como Jangadeiro, com 90 quartos com vista para o mar (diárias a partir de R$ 250).

DICAS DE OUTROS VIAJANTES

Recife, Pernambuco

Diversão no parque

Em um domingo ensolarado, fui passear no Parque 13 de Maio (não deixe de dar uma volta por lá)! O som das rodas de capoeira é contagiante e os acalorados campeonatos de dominó chamam a atenção – quem quiser, ainda pode se arriscar em uma partida.
Luíz Augusto Soares

Terra de contrastes

Recife não tem cenários obrigatórios, mas o contraste entre o centro histórico, com construções repletas de rococós, e Olinda, com seus altos edifícios e shopping centers nos bairros mais modernos, faz da cidade uma sequência de boas surpresas a serem descobertas.
Silvete Nadai

Quem não dança…

É impossível ficar longe das tradições populares, em Recife: elas estão espalhadas por todas as ruas. O cancioneiro, por exemplo, inclui muito forró e chorinho, mas são as danças, como o frevo e o maracatu, que realmente deixam os visitantes de boca aberta e contagiados com a alegria.
Roberto Salgado

Balada certa

Os recifenses se orgulham da vida noturna agitada, com razão. Se você estiver a fim de curtir rock’n’roll, há opções como o Downtown Club e o Burburinho. Já para os fãs de música pop e eletrônica a dica é o Metrópole ou o Musique.
André Feliciano

Lembrança alternativa

Para quem gosta dos presentinhos locais, a Feirinha do Bairro do Recife é perfeita. Todo domingo, na rua Bom Jesus, barraquinhas vendem artesanato, roupas e joalheria. As cerâmicas são lindas!
Maria Flor de Andrade

9 super dicas para encontrar passagens baratas

Planejar uma viagem pode deixar tudo mais fácil e prático para você, além de ajudar o seu bolso economizando com passagens baratas, encontrando promoções relâmpago ou até mesmo ofertas incríveis que algumas companhias aéreas praticam em épocas sazonais. Tudo pode ficar mais tranquilo quando se encontra um bom lugar para se hospedar com preços acessíveis ao seu bolso.

como encontrar passagens baratas

Para ajudá-lo a tirar suas dúvidas e a planejar o seu voo, preparamos este guia prático de viagem. Aqui, você encontra informações úteis para você comprar sua passagem, além é claro de poder encontrar as tarifas mais baixas e ajudar você a economizar:

  1. Compensa planejar antecipadamente. Quanto mais próxima estiver a data da viagem, mais você vai pagar pelo bilhete. Por quê? Porque há algum tempo as companhias aéreas perceberam que as pessoas viajando a negócios tendem a agendar reuniões em cima da hora e têm a menor das flexibilidades. Por isso, enquanto as companhias penalizam os viajantes a negócios, um turista bem organizado pode obter vantagens. Comece a pensar em sua viagem com três meses de antecedência e crie alertas que informam quando os preços caem. O período ideal para comprar as passagens é de 54 a 62 dias antes da data planejada.
  2. Segunda, sexta ou fim de semana? A flexibilidade para viajar em outro dia pode resultar em tarifas drasticamente mais baixas. Por isso, da próxima vez em que pesquisar, escolha a opção de datas flexíveis.
  3. Tudo na vida é uma questão de timing. O segredo para obter a tarifa mais baixa é viajar quando os outros não o fazem. Os períodos de “calmaria” irão variar por rota (de manhã cedo e noite adentro são boas opções para rotas de lazer, à tarde é melhor para rotas de negócio). Fique atento nos sites para saber qual o momento certo para comprar a passagem ou se vale a pena esperar alguns dias porque o preço pode cair.
  4. Evite as altas temporadas. Está notando um padrão? Não viaje quando os outros o fazem. Vá à Disney ou a Las Vegas depois da Ação de Graças e antes do Natal. Você não só terá voos mais baratos como também filas mais curtas. Ou voe no dia de Natal, quando todos já estão em seus destinos (e as aeromoças são particularmente simpáticas).
  5. Obrigado por escolher. Quando companhias low-cost como a JetBlue ou a easyJet simplificaram os seus esquemas de preços para ofereçer preços mais baixos com maior frequência, não demorou muito até que todo mundo começasse a fazer isso também. Mas nem todos os esquemas de preços das companhias aéreas funcionam da mesma forma. É por isso que, quando pesquisamos, vasculhamos centenas de companhias aéreas para encontrar o melhor preço para você.
  6. Local. Falando de companhias low-cost, muitas delas voam para aeroportos alternativos (como Burbank ou Long Beach em vez de LAX, ou Stansted em vez de Heathrow, Londres) e a economia que conseguem em taxas de aeroporto lhe são passadas adiante. Você pode também desfrutar de menos trânsito, aluguéis de carros mais baratos e menos pessoas nos terminais dos aeroportos.
  7. Para economizar durante a viagem, procure por hospedagens mais baratas, diminua o período de estadia e se alimente em lugares menos requintados. Utilizar ônibus e metrô ao invés de táxi e ficar hospedado próximo dos locais que quer conhecer também ajudará na economia. Os filtros de alguns sites de companhias aéreas permitem que você selecione as ofertas de hotéis por localização, preço, comodidades gratuitas e outras opções.
  8. Calcular o quanto pretende gastar por dia e priorizar o turismo e não as compras é uma ótima maneira de viajar e voltar com as contas em dias. Outra dica é dividir por dias o dinheiro disponível para ser gasto durante a viagem. Assim você não corre o risco de chegar ao fim da estadia sem reserva. Lembre-se que usar o cartão de crédito em período de alta de dólar não é uma boa opção.
  9. Precisando de inspiração? Se o mais importante não for o destino e sim quanto você pode gastar, pesquise sua viagem pelo custo e não pela cidade. Coloque nosso blog nos seus favoritos: estamos sempre dando dicas de viagem e mostrando destinos imperdíveis para as suas próximas férias.

Qual o melhor aeroporto de São Paulo? Viracopos, Guarulhos ou Congonhas?

Sempre que precisamos viajar até São Paulo, nos deparamos com uma dúvida de qual a melhor opção quanto ao aeroporto: Viracopos (Campinas), Guarulhos ou Congonhas? Esta pergunta pode não ter uma resposta que satisfaça totalmente, porque vai depender de qual lugar você precisa chegar na grande São Paulo.

Pensando nisso o Eu amo Viagem separou um comparativo com informações a respeito dos 3 principais terminais aeroportuários do Brasil, com suas respectivas opções de transporte terrestres. Ainda neste post você vai encontrar uma quarta opção que é o Aeroporto de São José dos Campos, caso aparece pra ti uma promoção especial, ou mesmo que você precise chegar num lugar mais próximo da cidade

1. Aeroporto de Congonhas

aeroporto que fica realmente dentro da Cidade de São Paulo e é o mais bem localizado para a maioria das pessoas. O aeroporto fica ao lado de Moema e bem próximo de regiões importantes como a do Parque do Ibirapuera, Jardim Zoológico, Avenida Berrine, Itaim, Avenida Paulista e Jardins, abrangendo as  zonas sul e oeste de São Paulo, onde ficam as melhores baladas, museus, shopings  e opções de hospedagem. Contudo, a passagem para ele geralmente é bem mais cara que para os outros terminais.  Existem muitas opções de transportes por táxis e ônibus, mas não há integração com a Metrô. A estação mais próxima é a São Judas e fica a cerca de 3 quilômetros, com ligação por várias linhas urbanas. Está em licitação a construção de uma nova linha (17-ouro) ligando o aeroporto ao metrô.

o melhor aeroporto

2. Aeroporto de Guarulhos (Cumbica)

Qual o melhor aeroporto de São Paulo? Viracopos, Guarulhos ou Congonhas? (2)

O maior e mais movimentado aeroporto do Brasil é uma boa opção para quem vai para os bairros da Zona Leste e Zona Norte, além de oferecer fácil acesso às rodovias Ayrton Senna/Marginal Tietê e Presidente Dutra.  Além disso, as empresas GOLTAM, disponibilizam ônibus gratuito partindo desse aeroporto para o aeroporto de Congonhas. Há também váriaslinhas de ônibus da EMTU que ligam Guarulhos a Congonhas e outros pontos da capital paulista com tarifas que variam de R$4 a R$ 33. Também há ônibus para as cidades de Santos, São Vicente, Praia Grande, Campinas e São José dos Campos. No futuro, duas obras devem melhorar ainda mais o acesso a este aeroporto: a construção do eixo leste do Rodoanel, que será iniciada ainda neste mês, e a linha de trem expresso ligando Guarulhos ao centro de São Paulo, com integração ao metrô.  Guarulhos é um município vizinho a São Paulo e o aeroporto fica a 25 quilômetros da área central paulistana.

3. Aeroporto de Campinas (Viracopos)

Qual o melhor aeroporto de São Paulo? Viracopos, Guarulhos ou Congonhas? (3)

Se você vai com a Azul, é uma ótima opção, já que ela tem ônibus executivo gratuito partindo desse aeroporto para Congonhas, Shopping Eldorado, Shopping Tamboré e Terminal Barra Funda em São Paulo, além de Santa Bárbara D’Oeste, Jundiaí, Piracibaca, Sorocaba e Outlet Premium no interior paulista. Os trechos que seguem para a capital, porém, atravessam áreas de tráfego intenso  – conte sempre com algum atraso na hora de marcar seus voos. As demais companhias não oferecem ônibus desse aeroporto para nenhum local. Para quem não voa pela Azul, a melhor opção é o ônibus para o Terminal Rodoviário do Tietê, que oferece acesso ao metrô. A tarifa cista R$ 15, mas só há cinco horários diários. Também háônibus para a rodoviária de Campinas, de onde sete empresas operam linhas para a capital paulista. Fica a 14 quilômetros do centro de Campinas e a 99 quilômetros e tem acesso pelas rodovias Santos Dumont, Bandeirantes e Anhanguera.

4. São José dos Campos

O pequeno aeroporto no Vale do Paraíba passou a ser uma opção com as novas rotas da Azul e da Trip. A distância para a Capital não é muito maior que a de Campinas – cerca de 100 quilômetros – com acesso pelas rodovias Ayrton Senna / Carvalho Pinto e Presidente Dutra, mas não há opções de transportes sem passar pela cidade. É a melhor escolha para quem vai ao litoral norte, com acesso à Rodovia dos Tamoios, ou à Baixada Santista, pela Mogi-Bertioga, sem ter de enfrentar o caótico tráfego paulistano. Também é o mais indicado para quem visita Campos do Jordão ou o circuito turístico religioso formado pelas cidades de Aparecida do Norte, Guaratinguetá e Cachoeira Paulista. Tem acesso ao centro de São José dos Campos (12 km) por meio de linha urbana municipal.

No mapa abaixo você pode conferir onde ficam os principais aeroportos que atendem a região metropolitana de São Paulo.

Dicas

Clientes do cartão de crédito Diners contam com um serviço gratuito de vans entre os aeroportos de Guarulhos e Congonhas e de Guarulhos ao hotel Maksoud Plaza, na região da avenida Paulista.

Quem voa pela empresa TAP também pode usar um ônibus executivo gratuito entre Viracopos e Congonhas. Para isso, é necessário fazer uma reserva junto à companhia.

Para pesquisar passagens para ambos os aeroportos utilize o código SAO em vez das siglas de Congonhas (CGH), Guarulhos (GRU) ou Viracopos (VCP) nos sites de venda de passagens ou das companhias aéreas.

No mapa abaixo você pode conferir onde ficam os principais aeroportos que atendem a região metropolitana de São Paulo.

Freebie: Checklist de Viagem!

Sempre quando planejamos uma viagem, queremos ter a certeza de que está tudo em ordem, de que tudo o que é necessário está na nossa mala, certo? Pois então! Pensando nisso, decidi criar um Checklist de Viagem e disponibilizar o freebie aqui no blog. Venha conferir como baixar! 😉

Checklist de Viagem!

Para quem não sabe, em agosto, farei um Intercâmbio de um ano para os Estados Unidos. Estou na fase do: o que levar? Ao me dar conta de quão difícil é organizar uma mala, pensei: por que não disponibilizar um freebie aqui para os meus leitores? Já respondi uma TAG aqui, falando sobre como sou esquemática em relação às minhas coisas. E se você também é assim, o Checklist será bem-vindo ao seu mundo! o/

Uma informação importante em relação ao Checklist: é editável. Ou seja, para quem gosta de escrever no computador, sem precisar imprimir, com esse Checklist, é possível fazer isso! Ah! E se algum item que você queira levar não estiver na lista, tem a opção de adicioná-lo pelo computador também. Assim, acredito que ficará um Checklist bem completo!

Como funciona, Malu? É super simples! Basta abrir o PDF, e clicar naqueles retângulos editáveis azuis. Ao colocar o mouse sobre eles, você consegue adicionar o item que quiser. Já completou algum item da lista? Ótimo! Clique no quadradinho ao lado esquerdo da palavra, e marque com ☑. Agora você já sabe o que já tem na sua mala e não se confunde! 😉 Mas você tem sempre a opção de imprimir e preencher tudo à mão. E para quem for imprimir, pensei no R$… Fiz tudo P&B! Fica à seu critério escolher de qual forma irá preencher!

Quer baixar o Freebie? Clique no ícone abaixo. Ele vai redirecioná-lo para um site.

Baixar Freebie

Escolha uma das redes sociais disponíveis, compartilhe a publicação em modo público (isso é importante, se não, o site hospedado não libera o download), espera os 5 segundos e clique em aceder. Siga as instruções, e pronto. O Freebie é seu! É claro que eu não preciso relembrar de que é apenas para uso pessoal, certo? Certo! Afinal, cópia é crime e veiculação sem autorização também. Se você quiser divulgar, ajude com compartilhamentos. Ficarei imensamente feliz! 🙂

Dicas de como arrumar mala de viagem!

Depois de alguns pedidos, finalmente chegou o post: Como arrumar a mala de viagem? Para quem ainda não sabe (em que país você vive? :O), farei um Intercâmbio agora dia 07 de Agosto. Por esse motivo, a preparação da mala é uma parte importantíssima do processo. Esquecer algo, colocar de mais (ou de menos) não é legal, certo? E se você também está querendo montar a sua mala ou querendo dicas para as próximas viagens, confira o post!

como arrumar a mala

Se você gosta de se planejar quanto à mala, talvez goste do meu post sobre o Freebie: Checklist de Viagem. Ele é tanto digital quanto impresso. Ou seja, se você é old school e gosta de preencher tudo à mão, basta imprimi-lo. Mas se é do tipo de pessoa que deixa tudo armazenado no computador, o PDF é editável. Ou seja, você pode ir marcando os itens conforme for colocando na mala. A escolha é sua! 🙂

À medida que eu fui arrumando a minha mala, atentei-me a algumas situações que eu gostaria de compartilhar com vocês. São elas:

1) Coloque os sapatos e outros itens pesados perto da rodinha. Assim, quando você levantar a mala e andar com ela, os sapatos não amassarão as suas roupas;

2) Falando em sapatos, limite-se a um par de cada estilo: confortável, social e sandália. Eleja um sapato coringa e faça dele combinações práticas;

3) Se possível, coloque suas meias dentro dos sapatos para aproveitar qualquer espaço disponível. E não se esqueça de cobrir seus sapatos com algum saco para não sujar suas roupas (pode ser até touca de banho!);

4) A peça coringa também vale para roupas. Se for para um lugar frio, escolha um casaco térmico que possa ser usado em várias ocasiões. Suéter e casaquinho ficam reservados para locais em que seja possível usá-los juntos para fazer combinações mais quentinhas. Prefira sempre roupa básica (e acrescente com acessórios/bijuterias – evite jóias de valor, ok?!);

5) Se quiser levar algum colar, mas tem medo de que fique tudo embolado, basta passar o colar por um canudo e depois fechar. Dessa forma, um lado do colar fica envolto pelo canudo;

6) Quer ganhar espaço na mala? Faça rolinhos com as roupas. É uma viagem longa? Use vac-bag (plástico em que você coloca as roupas dentro e tira todo o ar, formando um vácuo). Esta com medo de que amasse suas roupas? Sem problema! Quando for tomar banho, pendure a roupa no banheiro. Com o vapor, a roupa tende a desamassar. Depois estique na cadeira para tirar um pouco a umidade;

7) O limite de líquidos para a bagagem de mão é de 100mL. Portanto, é preferível comprar frasquinhos de viagem e colocar seus produtos ali dentro. Ps: Para a mala despachada, você pode levar embalagem grande. Só cuide com o espaço e para que não derrame líquidos na mala. Abra as tampas, coloque um plástico/papel filme no buraco e feche com a tampa novamente. Pronto, seus produtos estarão bem seguros!

8) Lembre-se de que na mala de mão não pode conter materiais cortantes (lâmina de barbear, alicate, tesoura, faca e etc).

No vídeo abaixo, explico melhor como organizei a minha mala para o Intercâmbio de Au Pair, de acordo com a localidade: estado de NY! Se você tiver interesse, basta clicar nele, ok?

E aí, o que achou da dica? Tem algo que você queira acrescentar? Você já usava alguma dica?

Se você tem interesse em ficar por dentro de todas as novidades do meu intercâmbio, convido a se inscrever no meu canal. Lá postarei mais sobre a rotina, vlogs, dicas e etc! 🙂

Lugares Conheça algumas das ruas e avenidas mais famosas do mundo

Uma das melhores maneiras de conhecer lugares novos e se localizar durante a viagem é passear pelas ruas e avenidas mais movimentadas da cidade que você está visitando. Endereços emblemáticos como a avenida Paulista, em São Paulo, a Champs Élysées, em Paris, e a Ocean Drive, em Miami, já falam por si só. Saiba mais sobre essas e outras vias que atraem milhares de turistas pelo mundo e inspire-se!

Champs Élysées, França

Com quase dois quilômetros de comprimento, visitar a Champs Élysées é passeio indispensável em Paris. A avenida rende um dos passeios mais agradáveis por lá: caminhar entre cafés e lojas de luxo, como Bvulgari, Dior e Louis Vuitton. Mas se não pretende gastar muito, fique tranquilo, pois também há lojas com preços camaradas. Some a isso diversas lojas de carros com exposições de automóveis, além da possibilidade de alugar máquinas para andar de Ferrari ou Lamborghini em um passeio do tipo test-drive. Aproveite e fotografe pontos turísticos ao longo de sua extensão, como o Arco do Triunfo e a Praça da Concórdia.

Ocean Drive, Estados Unidos

A Ocean Drive acompanha a orla de Miami e é um dos melhores lugares para se divertir com a família e os amigos. A via concentra um pouco de tudo ao longo de seus dois quilômetros de extensão. Além das praias e do privilégio de dias ensolarados durante o ano todo, há quadras, playground, bares, restaurantes, casas noturnas e prédios antigos entre coqueiros e letreiros coloridos de neon – cenário perfeito para curtir as férias!

Hollywood Boulevard, Estados Unidos

As estrelas na Calçada da Fama não são a única atração da Hollywood Boulevard, em Los Angeles. Aproveite para conferir uma apresentação nos teatros da região, além das lojas luxuosas, restaurantes e parques no entorno da avenida. Compre lembrancinhas por lá e conheça o lendário Teatro Dolby, onde acontecem as apresentações do Oscar.

Las Ramblas, Espanha

Visitar Las Ramblas é passeio imperdível para quem passa por Barcelona. A via nasce na praça Catalunya e continua em direção ao Mirador de Colom, monumento em homenagem a Colombo. A região bem arborizada oferece ótima estrutura para andar a pé entre atrações como cafés, bares, museus, lojas, estações de metrô e edifícios históricos. Destaque para o estilo barroco da igreja de Nossa Senhora de Belém, para o charme da praça Royal e a beleza dos mosaicos de Joan Miró!

Magnificent Mile, Estados Unidos

Cartão-postal de Chicago, a Magnificent Mile é a melhor opção para chegar a diversas atrações e ter ampla visão da arquitetura de prédios altíssimos, além da variedade de preços e de públicos que são a cara da cidade. A pé, de carro ou de transporte público, você pode curtir com tranquilidade as vitrines da Apple Store, Burberry e de tantas outras marcas luxuosas, assim como acessar o mirante 360 Chicago e o Museu Contemporâneo de Chicago. Se preferir, faça uma pausa em um dos 275 restaurantes concentrados ao longo desse trecho. A via atravessa a cidade entre o trecho próximo ao rio Chicago até a Oak Street Beach.

Gran Vía, Espanha

A Gran Vía é uma das mais movimentadas atrações urbanas de Madri. Bares, restaurantes, cinemas e teatros dão vida à avenida, construída em 1910. A região também está cercada por fachadas arquitetônicas centenárias que vão te deixar com vontade de sair fotografando tudo. Além do charme, o local é querido por turistas e moradores por conta das opções de compras que atendem a todos os gostos e bolsos. Há ônibus e estações de metrô por perto.

Yonge Street, Canadá

Endereço da primeira linha de metrô do Canadá, a Yonge Street, em Toronto, ganhou fama de ser a rua mais longa do mundo, mas, na verdade, oficialmente não é. A via começa perto do porto, às margens do lago Ontario, e acaba na Barrie Street, quando passa a se chamar Highway 11, e vai até a fronteira com o estado de Minessota, nos Estados Unidos. Ao longo da Yonge Street você encontrará cafés, lojas, teatros e pontos turísticos, como o Eaton Centre e a Dundas Square.

Bahnhofstrasse, Suíça

A famosa via Bahnhofstrasse fica no coração de Zurique, perto do centro histórico. Por lá há mais de 90 lojas de marcas luxuosas, como Tiffany & Co., Victorinox e Burberry, assim como opções de bares e restaurante. Vale a pena dar uma esticada para conhecer o mirante Lindenhof, com vista para prédios antigos e para o rio Limmat. A Bahnhofstrasse é facilmente acessível por estações de trem e bondinhos – sim, bondinhos supermodernos! –, além de cortar a cidade em direção ao lago Zurique, até a praça Bürkiplatz.

Lombard Street, Estados Unidos

Localizada em São Francisco, na Califórnia, a Lombard Street é uma das vias mais famosas da cidade e rende fotos interessantes por conta do visual de zigue-zague e de sua localização – a rua é íngreme e oferece vista bem legal da cidade! O trecho entre as ruas Leavenworth Street e Hyde Street ficou mais conhecido por conta das curvas e jardins construídos para facilitar a descida dos carros. Dá para acessar a via a pé, de carro, de ônibus e até de bondinho.

Via dei Condotti, Itália

Em Roma, aprecie a arquitetura clássica das fachadas dos prédios da Via dei Condotti, em direção à praça Espanha – onde dá para curtir a vista do pôr do sol do alto da escadaria! Vitrines de marcas como Guess, H&M, Prada, Dior e muitas outras são facilmente encontradas aqui e nas redondezas. Esta rua é uma das mais visitadas da cidade e ficou famosa pela concentração de lojas de luxo. Apesar dos preços não serem muito convidativos, o local chama a atenção pelo charme.

Avenida Paulista, Brasil

A viagem não fica completa se você passar por São Paulo sem conhecer a avenida Paulista. A via é conhecida como o local “onde tudo acontece” na mais influente cidade da América Latina e concentra milhares de lojas, bares, restaurantes e redes de fast-food. Além de ser opção de diversão durante o dia e a noite, a Paulista também é um dos principais centros financeiros da capital paulista. O MASP (Museu de Arte de São Paulo) é apenas uma das atrações na região.

Avenida Nueve de Julio, Argentina

Umas das principais ligações entre o norte e o sul de Buenos Aires é a avenida Nueve de Julio, com 140 metros de extensão. A via, que corta o centro da cidade, levou cerca de cinco décadas para ser construída e funciona como referência para se deslocar na capital argentina. Ao longo da avenida dá pra conhecer restaurantes e pontos turísticos, entre eles o monumento Obelisco e o teatro Colón.

Como tirar o visto americano? Passo a Passo

Como vocês devem saber, em agosto, embarco para um Intercâmbio para os Estados Unidos. Para isso, como toda pessoa brasileira, precisei tirar o meu visto americano. E sempre é aquela mesma saga: e agora? Ferrou, vão negar meu visto. Acomode-se na cadeira e leia o post, porque também estava com esse mesmo pensamento. Bora lá?

visto americano

O primeiro passo é preencher aquele formulário DS-160 no site do Consulado Americano. Tenha muito cuidado na hora de preenchê-lo, pois é com base nele que será feita a sua entrevista. Ele é em inglês, mas não se assuste se você não tem tanta prática com o idioma. Na parte superior do site, há uma opção para mudá-lo para o português. Feito isso, toda vez que passar o cursor do mouse em cima de alguma palavra, irá mostrar a tradução. Preciso preencher tudo em inglês? Não, não precisa. Basta responder em português tudo certinho que estará ok! Na hora de preencher o DS, atente-se ao local do visto. Não coloque a cidade onde mora e sim, a cidade na qual fará o visto. Se você morar na mesma cidade do Consulado, ótimo! Parece ser um errinho bobo, mas é muito comum.

Depois do preenchimento do DS-160, é hora de pagar a taxa e agendar a entrevista para o Visto Americano.

No meu caso, era um visto para Au Pair. Como a minha situação não era das melhores (formada, sem grande vínculo no Brasil), e, levando em consideração a atual crise do país, optei por fazer com uma despachante. Por já estar num turbilhão de emoções, achei melhor contatar uma pessoa responsável por isso. Foi a Cia. dos Vistos, aqui em Florianópolis. A despachante sempre foi muito solícita, me deixando à vontade para questioná-la sobre qualquer dúvida que viesse a ter. Por estar próxima a ela, vi algumas dicas legais que gostaria de repassar a vocês.

Visto

Exemplo de Visto Americano

São duas etapas para a retirada do Visto Americano. Uma no Centro de Atendimento ao Solicitante (CASV) e outra no Consulado Americano (Entrevista).

No CASV, eles tiram uma foto sua. Mas é sempre bom levar uma extra 5×7. Já pensou se o sistema cai e você precisa tirar uma foto nessas gráficas exploradoras perto do CASV? Além disso, você vai tirar a sua digital. Documentos necessários para o CASV:

  1. Passaporte;
  2. Página de confirmação do Formulário DS-160;
  3. Confirmação da taxa de pagamento do visto;
  4. RG/CPF;
  5. Documentos exigidos para qualquer tipo de intercâmbio, como DS-2019 (Au Pair).

No Consulado Americano, na Entrevista, são solicitados os seguintes documentos:

  1. Passaporte válido por pelo menos 6 meses além do período de estadia nos Estados Unidos;
  2. Passaporte anterior contendo o último visto dos Estados Unidos (se existir);
  3. Página de confirmação do Formulário DS-160;
  4. RG/CPF;
  5. Formulários adicionais para qualquer tipo de Intercâmbio, como o DS-2019 e a Taxa SEVIS (se aplicável);
  6. Além dos obrigatórios, é interessante levar documentos que comprovem a sua morada aqui no Brasil: comprovação de renda e de bens (carro, casa, terreno); extrato bancário dos últimos 3 meses; carteira de trabalho; carta custeio (se outra pessoa custear a sua viagem, por exemplo, pais). Ah! Se não tiver casa no seu nome, leve o comprovante no nome do responsável e uma cópia da identidade do mesmo. Se estiver estudando, leve histórico escolar.

Se tudo ocorrer bem, não pedirão documentos extras. No dia da entrevista, eles já conseguem identificar, pela conversa, a sua intenção. Então, mostre-se convicto de suas respostas.

Se você não for de São Paulo (e a sua entrevista for lá), recomendo ficar no Hotel Ibis Budget, porque essa hospedagem é bem perto do Consulado Americano (ou em qualquer outro hotel/hostel perto). Dá em torno de 10 a 15 minutos de caminhada. A recepção é bem solícita em mostrar o caminho, porque muitos hóspedes ficam ali justamente pela localização do Consulado. Não é muito vantajoso ficar tão perto do CASV, porque lá é rápido e não é o local da sua entrevista. Priorize onde será a sua entrevista! 🙂

No vídeo abaixo, comento um pouco mais sobre a minha experiência com o Consulado Americano e dou dicas de como se portar na hora da Entrevista. Se tiver interesse, basta clicar nele, ok?

Conheça a bela cidade Cabo de Santo Agostinho em Pernambuco

A bela cidade Cabo de Santo Agostinho

Cabo de Santo Agostinho poderia ser considerada apenas mais uma cidade do Nordeste brasileiro com praias paradisíacas, de águas cristalinas e natureza exuberante. Mas uma visita revela que o destino, em meio às ruínas e às construções que datam do século 17, preserva uma rica fonte de cultura brasileira.

A cidade é reconhecida como marco geológico mundial por ser o ponto de ruptura entre os continentes africano e sul-americano. Contornada por recifes e manguezais, a região é a única em todo o país onde existem rochas graníticas de 102 milhões de anos. São nove praias distribuídas em uma área de 445 km².

É possível conhecer a cidade em um dia em um passeio de buggy, um roteiro que inclui todas as praias, mirantes, a Vila de Nazaré (onde ficam as ruínas históricas, capelas, igrejas e falésias) e o famoso banho de argila (um lago de solo argiloso procurado por turistas que se interessam pelos benefícios estéticos que a aplicação do material traz para a pele). Depois de ter uma visão panorâmica de todas as atrações, fica mais fácil escolher para que lado seguir e traçar seu próprio roteiro.

Forte São Francisco Xavier fica entre as praias de Gaibú e Calhetas, em Cabo de Santo Agostinho Débora Costa e Silva/UOL

A temperatura média anual é de 28ºC e, na maior parte do ano, o acesso de carro é fácil, apesar de a estrada ser de terra em alguns trechos. Mas na época das chuvas, de abril a julho, o trajeto pode ficar esburacado. No caminho, o rústico casario local abriga vendas de frutas típicas do Nordeste, como jaca, caju e goiaba.

A história não oficial conta que na costa do Cabo de Santo Agostinho o navegador espanhol Vicente Yanéz Pinzón teria ancorado pela primeira vez no Brasil, em janeiro de 1500, antes da esquadra de Pedro Álvares de Cabral desembarcar na Bahia. Pinzón não tomou posse do território por causa do Tratado de Tordesilhas, que determinava que estas terras pertenciam a Portugal. Nesta época, a região era habitada por índios da etnia Caeté.

Uma bela de uma cidade

Primeiramente nomeado de “Santa Maria da Consolação” pelo explorador espanhol, a descoberta oficial foi feita pelo navegador italiano Américo Vespúcio, no dia 29 de agosto de 1501. As primeiras povoações datam de 1618 e a maioria dos núcleos se concentrou no ponto mais alto da cidade: a Vila de Nazaré, região hoje conhecida como Parque Metropolitano Armando de Holanda Cavalcanti.

Na época em que reinava o cultivo e a exportação da cana-de-açúcar no Brasil, Cabo de Santo Agostinho também viveu momentos de glória, tendo sido considerado o poderio econômico do estado pernambucano. O primeiro engenho a ocupar a região foi o Madre de Deus (hoje Engenho Velho) e mais tarde o Massangana, onde viveu o abolicionista Joaquim Nabuco. Em 27 de julho de 1811, Cabo de Santo Agostinho foi elevada a Vila e em 9 de julho de 1877 foi reconhecida como cidade.

Se você decidir visitar este lugar paradisíaco e histórico, você pode escolher entre estas 5 opções de hospedagem abaixo:

  1. Namoa Pousada
  2. Casal 20 Studios Flats
  3. Hotel Arrecife dos Corais
  4. Pousada Recanto da Enseada
  5. Pousada das Acácias

Aproveite as ofertas da Gol e compre passagens a partir de R$ 78

Aproveite este fim de semana e confira as ofertas incríveis que a Gol está apresentando em seu site, com preços a partir de R$ 78,00

Buscando sempre melhorar o atendimento aos clientes, a GOL anuncia uma novidade: o Conte Comigo. É um serviço exclusivo para atendimento nas áreas de embarque dos aeroportos.

Aproveite as ofertas da Gol

Localizado em uma área fixa na sala de embarque, o espaço Conte Comigo conta com colaboradores para atender aos clientes e é equipado com telefones para contato direto com a Central de Relacionamento da companhia e do Programa Smiles. Conta também com totens de autoatendimento, nos quais estarão disponíveis as seguintes funcionalidades:

• Status do Voo
• Compra de bilhetes
• Alteração e venda de assentos
 
• Antecipação e postergação de voos
 
• Reacomodação
 
• Impressão de vouchers de alimentação
 
• Transporte, hospedagem e facilidades quando necessário

Os aeroportos de Congonhas (CGH), Galeão (GIG) e Santos Dumont (SDU) já contam com o serviço. Confira outros serviços diretamente no site da Gol.

5 lugares incríveis para você fugir do Carnaval

5 lugares incríveis para você fugir do Carnaval

Separamos 5 lugares incríveis para você fugir do carnaval e aproveitar o feriadão que vão desde recantos isolados até metrópoles que não aderem à esta folia!
Santo Antônio do Pinhal (SP)

Encravada na Serra da Mantiqueira, é uma cidade pequena está há apenas 20 quilômetros de Campos do Jordão, mas ao contrário da vizinha famosa, é conhecida pela paz e quietude, por isso é opção para que você fuja do Carnaval. As ruas estão cheias artesanato no ar livre, com produtos de crochê, patchwork e até peças produzidas com pinhão de Araucária, árvore comum na região.

5 lugares incríveis para você fugir do Carnaval (1)

5 lugares incríveis para você fugir do Carnaval

Mal começa o ano, já vimos muitos se prepararem para o carnaval mais badalado do  mundo, o Brasil é um grande palco para toda folia que se pode encontrar em cada região! Mas muitos não curtem esse período de folia do carnaval e prefere passar o feriado em lugares lindos e dominados pela calmaria!

Separamos 5 lugares incríveis para você fugir do carnaval e aproveitar o feriadão que vão desde recantos isolados até metrópoles que não aderem à esta folia!

Santo Antônio do Pinhal (SP)

Encravada na Serra da Mantiqueira, a pequena cidade está há apenas 20 quilômetros de Campos do Jordão, mas ao contrário da vizinha famosa, é conhecida pela paz e quietude, E como isso é mais uma opnião para fugir do Carnaval. As ruas do centro estão cheias de lojinhas de artesanato, com produtos de crochê, patchwork e até peças produzidas com pinhão de Araucária, árvore comum na região.

Ilha do Cardoso (SP)

Um dos locais para sair do carnaval

A Ilha do Cardoso pertence à cidade de Cananeia, no litoral sul de SP, e fica bem na divisa com o Estado do Paraná. Localizada a 260 quilômetros da capital paulista, é um recanto para quem busca paz, sossego, contato com a natureza e, especialmente, distância do Carnaval.

A Ilha do Cardoso abriga por um pequena população de pescadores na região, que vive em relativo isolamento da civilização: ali o celular não tem vez e internet é uma lenda. Na maior parte das casas há energia elétrica apenas algumas horas por dia, graças a geradores – algumas pousadas e residências mais privilegiadas possuem coletores solares. Ou seja: o local é garantia de sossego e pede para que você fuja do carnaval. De quebra, há trilhas e cachoeiras e a possibilidade de optar por praia ou o grande canal de água doce, onde os botos dão o ar da graça. O Parque Estadual Ilha do Cardoso também permite visitação. Informe-se aqui.

Bonito (MS)

A prefeitura de Bonito parece estar atenta ao público que deseja fugir do Carnaval. Este ano, a administração municipal anunciou que a cidade não terá programação carnavalesca. Portanto, quem for à bela cidade do Mato Grosso do Sul encontrará um contato mais intenso com a natureza, sem se incomodar com samba, axé e quejandos. As atrações são as já conhecidas, como os muitos balneários e cachoeiras, além das cavalgadas, boia-cross e mergulhos nos límpidos rios da região. Os fãs de aventura vão se esbaldar no Abismo Anhumas, onde é possível fazer um rapel de 72 metros no interior de uma gruta. Mais informações sobre a cidade podem ser encontradas aqui.

Curitiba (PR)

Curitiba sempre foi uma capital sui generis, diferente em quase tudo das colegas brasileiras. E com o Carnaval não poderia ser diferente. Enquanto 90% do país pula ou relaxa em alguma praia, a capital paranaense organiza o Curitiba Rock Carnival, feito exclusivamente para quem deseja fugir da folia tradicional. O evento terá shows de rock e música eletrônica, na Câmara Municipal, dias 14 e 15 de fevereiro.

De quebra, os ruins da cabeça e doentes do pé ainda podem participar da divertida Zombie Walk: no dia 15, milhares de pessoas irão percorrer as ruas da cidade com fantasias de zumbis. Em 2014, cerca de 15 mil pessoas participaram da diversão.

Além da programação, os visitantes vão se deparar com uma cidade limpa e organizada, repleta de parques e atrações turísticas imperdíveis, como o Jardim Botânico e o Paço da Liberdade. Fuja do Carnaval em alto estilo e saiba mais sobre a cidade aqui.

Pocinhos do Rio Verde (MG)

Rio Verde e local bem longe do carnaval

O pequeno distrito de Pocinhos do Rio Verde (pertencente ao município de Caldas) é uma simpática estância hidromineral, localizada a 470 quilômetros de Belo Horizonte e 280 km de São Paulo. Está bem próximo de Poços de Caldas e atrai os visitantes graças às suas fontes de águas terapêuticas. O Balneário fica em uma gostosa praça, repleta de árvores e com parquinho para as crianças, e oferece banhos quentes de imersão, hidromassagem e sauna a vapor, além de três fontes radioativas, alcalino-sulfurosas e bicarbonatadas-sódicas.

“Fuja do Carnaval”, é o que sugere esse recanto de sossego. Os aventureiros vão adorar percorrer trilhas como a da Pedra do Coração, a 1.350 metros de altitude, ou da Pedra Branca, a 1.850 metros e que possui um vale repleto de grutas e cavernas. O distrito abriga ainda o centenário Grand Hotel Pocinhos, que teve o ex-presidente Getúlio Vargas como um de seus hóspedes.

Santo Antônio do Pinhal possui trilhas de pequena e média dificuldade, adequadas a qualquer público e passam por cenários belíssimos. O Mirante do Cruzeiro permite uma vista panorâmica da cidade. A Cachoeira do Lageado também estão entre as principais atrações. E se a quietude incomodar, é só pegar o trenzinho que leva a Campos do Jordão. Confira como chegar até lá. Para